Primeiras impressões do Curso de Jovens Líderes de Organizações de Trabalhadores da BASE-FUT

com 1 comentário

A BASE-FUT, o Centro de Formação e Tempos Livres (CFTL) e o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES) organizaram este semana a segunda sessão do Curso para Jovens Líderes de Organizações de Trabalhadores. Trata-se de um projeto internacional organizado com a Confederação Francesa dos Trabalhadores Cristãos (CFTC, França), a Fundação Nowy Staw (EDS-FNS, Polónia) e a Universidade Akademia Ignatianum (Polónia) e que conta com o apoio do Centro Europeu para os Assuntos dos Trabalhadores (EZA). Organizado em Setúbal, o curso começou a 9 de outubro e vai se prolongar até ao dia 12.

O principal objetivo do curso é capacitar os 20 formandos vindos de França, Polónia e Portugal a terem um papel ativo em organizações sindicais e de trabalhadores. O primeiro dia foi dedicado à apresentação das dinâmicas do programa e à construção do grupo de formandos. A primeira sessão “O que significa ser líder numa organização de trabalhadores”, dinamizado por Pierre Marie, Vice-Presidente do Centro de Formação e Tempos Livres, permitiu um melhor conhecimento do grupo e uma primeira reflexão sobre os objetivos de uma organização de trabalhadores e as competências necessárias para os seus líderes.

Na segunda sessão intitulada “Desenvolver uma campanha junto de trabalhadores”, António Brandão Guedes, Coordenador da Comissão para os Assuntos do Trabalho da BASE-Frente Unitária dos Trabalhadores, apresentou as etapas que devem orientar a elaboração de uma campanha a partir de um caso na área da higiene e segurança no trabalho. Neste primeiro dia de formação foram iniciados os trabalhos de grupo com vista à elaboração de uma campanha conjunta, fio condutor do curso.

O dia 10 foi marcado por uma reflexão em torno da trajetória das organizações de trabalhadores em Portugal com dois momentos complementares. Florival Lança, Secretário de Relações Internacionais da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional entre 1993 e 2008, apresentou uma “História das organizações de trabalhadores/as em Portugal”. Este percurso cativante permitiu dar a conhecer a História dos trabalhadores em Portugal e estabelecer comparações com os casos francês e polaco.

O segundo momento foi constituído por uma “Entrevista coletiva a líderes de organizações de trabalhadores” que permitiu inserir perfis pessoais nesta trajetória histórica. Para além de Florival Lança, foram entrevistados pelos participantes João Paulo Branco, Presidente da BASE-FUT, Danilo Moreira, Presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Call Center e Vivalda Silva, Coordenadora nacional do Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Actividades diversas. As perguntas dos participantes permitiram esboçar um retrato dos movimentos de trabalhadores em Portugal ao longo das últimas décadas.

Com vista a desenvolver a campanha coletiva, duas oficinas completaram este dia de formação. Avelino Pinto, sociólogo, formador e membro da BASE-FUT, animou uma sessão sobre “Dinâmicas de grupo” com o objetivo de incentivar o uso de técnicas de animação no trabalho militante numa organização de trabalhadores. Danilo Moreira dinamizou a segunda sessão sobre “Mobilizar os trabalhadores” com base na sua experiência como Presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Call Center. Estes dois momentos deram lugar a trabalhos de grupo para alimentar o projeto de campanha coletiva.

One Response

  1. […] e que conta com o apoio do Centro Europeu para os Assuntos dos Trabalhadores (EZA). Após o relato dos primeiros dias da formação, damos aqui conta do fim do […]

Junta-te à BASE-FUT!